Organizar as finanças não é algo simples de se fazer ainda mais quando você é freelancer.

Há alguns meses atrás eu comecei um projeto aqui no amarelo de publicar um texto sobre cada assunto de interesse para Freelancers. O projeto se desdobrou no meu blog “Ser Freelancer” e até um “Clube VIP” para freelas.

Gostei tanto e tive um feedback tão positivo que acabei dando uma atenção para o projeto e incrementando algumas coisas nos últimos dias para produzir esse “guia inicial” de finanças.

Então pega seu café aí, vamos bater um papo legal.

Vou compartilhar algumas dicas e ideias de como gerenciar melhor suas finanças, assim como eu fiz, vamos lá?

1. Separe as despesas pessoais das despesas da empresa

Essa é uma dica é até bastante clichê e confesso que relutei um pouco para “aplicar” ao meu contexto, afinal sendo eu freelancer, como posso separar pessoal de empresa?

A questão foi respondida depois que tive algumas sessões com um Coach de Finanças, e me fez compreender que é essencial que eu me programe corretamente e compreenda até onde eu sou empresa e até onde sou “pessoa física”.

Na prática você precisa determinar o que é despesa da empresa – Softwares, máquinas, materiais de escritório, etc – e separar do que é despesa pessoal – comida, aluguel, lazer, por exemplo.

Quando falo sobre separar é literal: pegue um papel e uma caneta e anote todas as suas despesas.

Em outra folha comece a separar o que é “empresa” do que é “pessoal”. No caso de você ser um freelancer que usa Home Office, sugiro que coloque suas despesas como aluguel, água e luz divididos – Sendo 50% para empresa e 50% para pessoal – Isso facilitará a criação de preço e a compreensão de quanto ($$$) você PRECISA para continuar como Freelancer!

Uma vez que tenha realizado essa separação é momento de definir os valores de cada coisa. Na mesma folha que você colocou suas despesas separadas adicione o valor para cada item – No caso de luz e água, coloque a média dos três últimos boletos/contas/faturas.

Pronto você tem uma ideia do quadro geral do seu financeiro. Aproveite esse momento para refletir se você tem conseguido cumprir com esses gastos.

DICA: Trabalhe com metas claras para seus objetivos pessoais e profissionais. Ao fazer uma separação não esqueça de que LAZER é também um investimento pessoal e precisa ser devidamente contemplado, a ideia é que você consiga estabelecer uma meta de valor “previsto” mensalmente para cada categoria!

2. Tenha uma RESERVA

É essencial que você pense em longo prazo e nunca a um curto período. Viver como freelancer tem muitas vantagens, entretanto isso não descaracteriza as desvantagens desse estilo de vida: VOCÊ não tem mais “salário fixo” e precisa se prevenir em caso de imprevistos.

Haverão momentos de vacas magras – tenha certeza disso! – e com a poupança você conseguirá se precaver desse tipo de imprevisto.

A dica é que você estabeleça um valor fixo por mês para cada JOB que entra, de forma prática separe cerca de 10% de cada job fechado e deixe na poupança.

Tenha em mente que isso tem que SER UM HÁBITO fiel, do contrário de nada adiantará.

DICA: Procure contas digitais como a Nu Conta, que tem um excelente rendimento e não tem qualquer tarifa, pois assim além de deixar seu dinheiro guardado ele ainda renderá para você alguma coisa ao fim de cada mês

DICA 2: Não se atreva a pegar dinheiro da poupança atoa, ele deve ser usado em caso de imprevistos, não se iluda achando que você irá conseguir repor de novo!

3. Use uma planilha ou Aplicativo!

Eu não sou super fã de planilhas, basicamente sou um pouco mais chegado em App, entretanto já usei e até recomendo com alguma frequência o uso de planilhas – Para quem está começando e precisa compreender e criar um hábito.

Por isso separei esse post do Aparelho Elétrico e lá tem uma explicação básica de como usar e tudo o mais.

Agora se você quer partir direto para o Aplicativo, opa! É comigo mesmo!

Minha primeira recomendação é que você precisa ter pelo menos 2 app: Um para o PESSOAL (Sim é preciso) e outro para EMPRESA – Tenha sempre em mente que SER FREELA não é fazer BICOS!

MOBILLS

Como app de finanças pessoais eu indico o Mobills que é leve, simples e versátil. Disponível em duas versões: Free e Premium.

Na versão Premium ele tem alguns pequenos detalhes de edição e poder de customização a mais, entretanto não há necessidade desses detalhes, a versão Free já quebra MUITO o galho.

Você pode criar sua conta grátis a partir do site do app.

ZEROPAPER

Já para finanças empresariais eu super recomendo o ZeroPaper, ele é muito simples e ainda mais fácil de lidar do que o Mobile.

Também em duas versões, porém desta vez a versão premium realmente fará diferença, por isso sugiro que se programe para adquirir a versão premium o quanto antes puder.

Esse APP te permite fazer emissão de boletos (para cobrar seus próximos jobs) e também emissão de Nota Fiscal, dois recursos que são necessários para quem freela e trabalha online.

Você pode criar sua conta grátis a partir do site do app.

4. Busque ter uma carteira fixa de clientes

O chamado FEE MENSAL é o sonho de todo empreendedor que oferece serviço. O Fee Mensal é um formato de trabalho muito comuns para agências, mas que também pode ser praticados por freelancers.

Consiste em cobrar um valor fixo mensal por uma quantidade “x” de serviços oferecidos em forma de Pacote.

O grande benefício do Fee Mensal é poder fazer contratos a longo prazo e obter previsibilidade de caixa, evitando surpresas desagradáveis no fim do mês.

Se você tem um cliente que sempre te pede algum serviço e no geral é o mesmo tipo procure oferecer o serviço de Fee para ele, oferecendo algum desconto uma vez que ele seria um cliente fixo da sua carteira.

Clientes Fee no geral tem prioridade de atendimento e não precisarão mais fazer orçamentos, contanto que estejam dentro do seu “pacote de serviço”.

5. Cobre de forma profissional.

Outra importante lição que aprendi enquanto freelancer: se quer receber por um serviço de forma profissional cobre como uma empresa.

Não cobre seus clientes apenas por depósito bancário, emita boletos e se possível aceite cartão. Já estamos em pleno século 21 e tecnologia não é mais um limitador.

Para tal eu indico o Gerencianet, a melhor solução que usei online até hoje, e que me foi apresentado pela própria Thalita, e ela nem sabe disso, hehe

É possível receber via boleto ou via cartão e as taxas são aplicáveis de acordo com teu perfil, o que já indica uma redução gigantesca de taxas. Além disso você consegue usar o dinheiro em até 7 dias. As taxas só são aplicadas para cada “pagamento feito”, ou seja não há cobranças para você enquanto seu cliente não fizer um pagamento e é tudo automático.

Ao emitir boleto ou oferecer pagamento via cartão para seu cliente, você passará uma imagem muito mais profissional e séria.

Com um gerenciador como este você ainda pode emitir cobranças de forma automática o que reduz a taxa de inadimplência e te deixa mais “tranquilo” na hora de “cobrar” seu cliente.

Vale muito a pena!

A importância de manter controle financeiro para freelancer:

Eu passei aqui algumas dicas de ordem práticas que não pretende se findar em si mesma, isso é apenas um básico para quem está começando ou ainda tem alguma dificuldade. É impossível descrever uma “fórmula do sucesso”, mas é possível dar um start com o que passei aqui.

No entanto há uma coisa que é preciso levar em consideração antes mesmo de colocar qualquer dica em prática: Sua forma de pensar. Isso mesmo, a forma como você pensa influencia muito seus hábitos e atitudes, por isso tenha em mente que nenhuma dessas dicas irão surtir efeito se você não começar a pensar como um freelancer de sucesso!

É preciso acreditar, não desistir e ter resiliências para continuar mesmo em época de vacas magras!

Por isso desejo a você nesse ano que você não tenha apenas mais prosperidade, mas obtenha maior sabedoria e força para a verdadeira mudança de seus hábitos!

Vamos iniciar 2018 com o pé direito?

Essas dicas foram originalmente publicadas no meu blog pessoal. 😉